Eleições 2014: Zé Maria (PSTU)

"A hipótese de ganhar as eleições não está colocada. Há um controle absoluto do poder econômico sobre as eleições do país"

Metalúrgico por profissão, Zé Maria milita e articula movimentos de trabalhadores desde os anos 70. As décadas passaram, mas seu objetivo segue o mesmo: um Brasil verdadeiramente socialista.

Um dos fundadores do PT, rompeu com o partido em 1992 para fundar o PSTU. 
Com uma visão e plataformas muito ligadas à leitura marxista clássica da economia e sociedade, Zé Maria não se coloca nas eleições em busca de números ou alianças. Mas enxerga sua campanha como uma forma de ampliar a organização e a consciência dos trabalhadores e dos mais pobres no Brasil na direção de uma real revolução política. Sua luta não é por votos. É a luta de classes.

Socializar os meios de produção, decretar moratória a bancos e credores da dívida pública e abolir a propriedade privada. Só assim, acredita, será possível produzir reais melhoras na vida da maioria e criar uma economia que seja compatível com as limitações ambientais.

Em uma hora de entrevista, divida em 4 partes, Zé Maria fala sobre o estado do imaginário da esquerda no Brasil e no mundo. Sobre a pertinência e a necessidade de retomar a terminologia e os princípios do comunismo da revolução bolchevique antes de Stalin. Comenta o governo do PT, o que considera a capitulação de Lula aos empresários, o sequestro do processo eleitoral pelo capital e como encara o processo de polarização e acirramento da disputa ideológica no país.

ZÉ MARIA - Parte 1
O candidato fala sobre a dificuldade de se construir uma frente única de esquerda para o planalto. Sobre a futilidade das eleições na construção de um país socialista. Sobre a imagem desgastada da esquerda no Brasil e como isso se conecta com o fim da guerra fria.

ZÉ MARIA - Parte 2
Zé Maria fala sobre a viabilidade de um governo realmente socialista no país. Da necessidade de um duro confronto com os interesses e a força física do poder do capital. Critica a ideologia e modo de ação do Black Bloc e de parte dos movimentos de rua. E sobre o que chama de ilusão: a ideia de que o PT tem condições de promover reais transformações na sociedade brasileira.

ZÉ MARIA - Parte 3
Em discussão a necessidade, ou não, de renovar o discurso e a terminologia marxista no diálogo público. Comenta sobre o fascismo da União Soviética Stalinista e como imagina ser possível instaurar uma democracia comunista. E se o desejo pela propriedade privada talvez não transcenda a mera ideologia no ser humano. 

ZÉ MARIA - Parte 4
Zé Maria fala sobre o caráter das manifestações de junho de 2013. Se viu reacionarismo ou progressismo no âmago delas. E discute a perspectiva ambiental no país e no mundo. Em sua visão, um mundo sustentável só é possível após a superação do capitalismo. 

Câmeras: Carol Quintanilha e Fernanda Ligabue
Produção: Laura Escorel
Apresentação e montagem: Bruno Torturra
Entrevista gravada no terraço do Farol, prédio onde fica o Estúdio Fluxo