CÓRTEX - MAPAS DE REDE, TRENDS DE RUA E A POLÍTICA NA ERA DO PERFIL. Um passeio com Fábio Malini

"O PERFIL SÓ EXISTE SE ELE ESTIVER EM RELAÇÃO. E PELA PRIMEIRA VEZ NÓS TEMOS QUE COMPOR IDENTIDADES POlÍTICAS BASEADAS NO OUTRO. E NA APROVAÇÃO DO OUTRO. E ISSO TEM GRANDES CONSEQUÊNCIAS"


O CONVIDADO

 Processed with VSCO with c3 preset Processed with VSCO with c3 preset

Se o ciberespaço é um território político, então Fábio Malini é o maior cartógrafo da rede brasileira.  

Professor da Universidade Federal do Espírito Santo e coordenador do LABIC (Laboratório de Estudos de Imagem e Cibercultura),  Malini desenvolve com sua equipe de 25 pessoas os mais completos mapas dos fluxos e percursos de perfis e mensagens nas redes sociais. Sobretudo quando a conversa é política.

Em um tempo de hipeconectividade, de hiperfluxo de informação, a extração de dados e suas visualizações se tornaram referências para a compreensão do ecossistema de debates digitais. E nos oferece um atlas ainda em construção de real dimensão - e da permeabilidade - das chamadas bolhas ideológicas.


Mas Fábio Malini está longe de ser um mero minerador de dados. Toda sua formação - rara na academia e entre comunicadores - navega na fronteira entre as ciências da informação e as ciências políticas. Exatamente no estudo de como estruturas digitais produzem e condicionam novas dinâmicas sociais. Como a Era da Informação é, sobretudo, uma era de reconstrução das relações de poder. E de como toda essa explosão informacional - com todo seu potencial e imprevisibilidade - começa a transbordar nas ruas. 

É por isso que convidamos Malini para uma conversa sobre redes, ruas e a política na Era do Perfil na maior timeline política asfaltada do Brasil: a Avenida Paulista. 

 


A CONVERSA

 

"Nós, no LABIC, somos historiadores do tempo real"

 

Nos 70 minutos de caminhada sem cortes pela Avenida Paulista aberta conversamos sobre a fusão de ruas e redes em um novo ecossistema político. Sobre a natureza do trabalho que ele desenvolve no LABIC. Fizemos uma longa e nada cronológica retrospectiva dos últimos anos.

Do pré-Junho de ruas engajadas por causas específicas, da grande perda de controle midiático, estatal e ideológico durante Junho de 2013. Da dimensão mensurável da polarização e do quanto ela é - ou era? - má interpretada.
Como algorítmos não são o ponto - mas o feed. Ideologias versus identidades.

Corrupção, Lava Jato e a verdadeira corrupção. A imprensa acuada e a transformação dos veículos em perfis. O engajamento digital e os limites do Facebook. E porque o surgimento do perfil no ciberespaço é um dos mais importantes fenômenos políticos para explicar o presente. 


O CAMINHO

 Processed with VSCO with a2 preset Processed with VSCO with a2 preset

A escolha da Avenida Paulista para esse passeio quase não precisa de justificativa nesse caso. Nenhum endereço produziu tanta iconografia, foi tão disputado por campos ideológicos diversos e opostos, alvo de grande repressão policial e grande exaltação da polícia. De bastião da força do Estado e da desobediência civil. Da velha e da novíssima mídia. De grandes multidões à micro manifestações. Do pato da FIESP ao Black Bloc, nenhum lugar deu uma dimensão física às inquietações e convocatórias digitais de forma tão perfeita no Brasil.
Se era para debater como ruas e redes podem ser compreendidas como um sistema só, não poderíamos ter um palco melhor. 

CÓRTEX é uma produção do FLUXO
Direção: Susana Jeha
Câmeras: Susana Jeha e Thiago Neves
Edição: Bruno Torturra e Thiago Neves

 

CONTINUA...

Conheça o site do LABIC

onde Malini e seu time desenvolvem pesquisas e publicam visualizações, análises e teses acadêmicas sobre a história digital contemporânea no Brasil. 

Há artigos, vídeos e aulas completas onde os pesquisadores desenvolvem com muito mais tempo e tranquilidade as ideias que conseguimos apenas sobrevoar nesse curto - e deveras cheio de distrações - passeio na Paulista.

http://www.labic.net/


@ Internet e # Rua - Editora Sulina

livro de Fábio Malini e Henrique Antoun, publicado em 2013 onde eles analizam a emergência de um novo ativismo, baseado em produção, difusão e disputa de informação e seus impactos nas mobilizações mundiais. 

 

"Dados da Indignação"

Palestra de Fábio Malini em três partes na Câmara dos Deputados em 2014, onde ela elabora sobre suas pesquisas de rede e dá o mapa do que, em seguida, culminaria nos movimentos anti-Copa do Mundo.