"EU SOU O HOMEM DA CRISE"

Ciro Gomes no Fluxo. O político dá sua versão da mais grave crise política nacional desde e redemocratização. Remonta, através de sua longa trajetória, parte da história e dos descaminhos que nos trouxeram até aqui. E porque, após ser prefeito, governador, deputado estadual, federal, ministro de dois governos e filiado a 7 partidos, está considerando abandonar sua agradável vida privada para mais uma corrida presidencial. Já que, de acordo consigo mesmo, "eu sou o homem da crise. Quando dá merda é que chamam".

"O GRANDE ERRO DO PETISTA É ACHAR QUE OS SALÕES VÃO NOS ACEITAR" Em trecho de entrevista ao Fluxo, Ciro Gomes dá sua visão sobre se formou um consenso contra Dilma. 

 Em 1h45 de conversa, Ciro abriu fogo em rivais, antigos aliados e alguns amigos. E não poupou digressões que vão dos problemas em nossa Constituição à sua fantasia de se juntar aos Whale Warriors.

Tratou da volta ou não de Dilma Roussef pela via do Senado, das trágicas escolhas do Planalto, da tragédia econômica a partir de um receituário que traiu os eleitores do PT.  A relativa apatia nas ruas, a falência do neoliberalismo, a ausência de novas lideranças, a disfuncional cultura partidária, o esgotamento do modelo de coalizão.

E não apenas. Após uma longa leitura da realidade política presente, Ciro comenta sobre alguns pontos específicos que podemo nos ajudar a entender melhor o candidato: modelo de desenvolvimento, meio-ambiente, política de drogas, violência e pragmatismo. 
 

Esse é um post ainda provisório. A íntegra está acima, mas vamos adicionar trechos editados e novos comentários sobre a entrevista ao longo da semana. 
Essa entrevista foi a última realizada nessas instalações do estúdio fluxo na rua Capitão Salomão. 

 

 

Apresentação: Bruno Torturra
Câmeras: Fernanda Ligabue e Thiago Neves
Produção: Maria Shirts