Brechas Urbanas - o Cérebro e a Cidade

brechas_arte_fundo de tela_novo_semlogo1.jpg

A convite de Natália Garcia, Lotje Sodeerland e Bruno Torturra se reuniram para debater as semelhanças entre o cérebro humano e o espaço urbano. Ruas, neurotranmissão, caminhos neurais, política e ego. E como cérebro e cidades definem modelos de realidade. E produzem subjetividade e são, de muitas formas, são produzidos pelas experiência que geram.

Lotje tornou-se cineasta após sofrer, em 2011, uma hemorragia cerebral que prejudicou severamente suas habilidades cognitivas. Seu processo de recuperação e suas descobertas sobre o funcionamento complexo do cérebro são retratados no documentário My Beautiful Broken Brain, produzido pelo norte-americano David Lynch e disponível no Netflix. “A experiência de ser definida pelo que você não é mais capaz de fazer [após uma hemorragia cerebral] pode ser devastadora”, diz ela. A limitação cognitiva da artista abriu espaço, como pode ser visto no longa-metragem, para outra percepção da realidade e para que novas habilidades pudessem emergir

Bruno, editor do Fluxo, debateu a partir de suas pesquisas sobre estados alterados da consciência e drogas psicodélicas. E trouxe para a conversa um monitor de eletroencéfalograma para mostrar, ao vivo a topografia do cérebro em tempo real.